Revista Inovativos & Blog

O Instituto Startups foi criado com a missão de desenvolver um ambiente para aproximar empresas, mundo acadêmico, investidores, empreendedores, governo, sociedade civil e todas as demais entidades que formam esse novo ecossistema digital. Além disso, queremos reunir todas essas engrenagens em torno de um conteúdo que discuta esse novo mundo de um ângulo diferente, ou seja, as iniciativas serão lideradas por quem está no protagonismo da nova economia.

Novos canais de comunicação e inovação

A concretização dessas ações e intenções acontece justamente agora: com o apoio de importantes entidades e associações do setor, estamos lançando este blog e uma revista digital, a Inovativos. Dois canais que terão a missão de dar voz e compartilhar o conhecimento daqueles que são agentes da inovação e fazem parte dessa transformação.

Ambas as plataformas serão integradas e complementares, trazendo sempre a proposta de oferecer um conteúdo atual, dinâmico e interativo. A ideia é que o conteúdo sirva como faísca para novos insights de negócios e parcerias, além de ponto de partida para discussões sobre como podemos evoluir nesse processo.

1ª Edição – Revista Inovativos

Na primeira edição da revista, mostramos os impactos que os aplicativos estão exercendo na economia, especialmente na vida dos entregadores. Questões regulatórias também serão abordadas, como o debate público em torno dos aplicativos de mobilidade urbana.

Além desses temas, a revista mostrará a importância do Porto Digital como fomento à inovação e novos negócios, abrigando anualmente centenas de empresas, de startups a multinacionais renomadas. E ainda: como a Inteligência Artificial está sendo usada por algumas startups, além de uma super entrevista com o CEO da Atento sobre Customer Experience e os desafios da jornada Online e Offline do consumidor.

Voz das Startups Brasileiras

Como você pode ver, vamos fazer desses dois novos canais um espaço que reunirá as principais novidades e os temas emergentes que estão na agenda de todos. Tanto o blog como a revista estarão integrados em uma plataforma macro, que também repercurtirá tudo o que for compartilhado nos eventos, as iniciativas desenvolvidas pelo Instituto e os demais conteúdos a serem divulgados em formatos diversos, seja em formato de blog, revista, e-book, webinar, pesquisa, etc.

Tudo será desenvolvido por grupos de estudos centrados nos assuntos que mais impactam a Economia Digital, coordenado por especialistas de importantes instituições acadêmicas e lideranças das principais empresas do setor. Portanto, acesse, interaja, divulgue, sugira, compartilhe e faça parte dessa transformação! A sua participação é fundamental para o progresso de todos.

Marketplaces: a revolução das plataformas e a nova onda de serviços financeiros

Uma pesquisa feita recentemente pela SBVC (Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo) diz que 24% dos consumidores brasileiros utilizam apps para comprar em lojas físicas. Desse total, 17% já pagam com QR Codes. Ou seja, o que antes era visto como tendência passa a se tornar realidade, à medida em que os marketplaces incluem serviços financeiros nas jornadas dos clientes, vendedores e outros participantes.

“Trazer serviços específicos para cada necessidade aumenta a fidelização dos consumidores”, opina Daniel Bergman, CEO da MovilePay. Segundo o executivo, que apresentará seu case no Congresso O2OiX, foi dessa forma que alguns apps se popularizaram ao redor do mundo, como é o caso do WeChat, da Tencent, na China. O tema também será destaque em um painel de debates no Congresso, no palco Fintech Innovation Xperience, em 12 de novembro, com as presenças já confirmadas do iFoodPay e PeixePay.

Começou como um aplicativo de mensagens, mas hoje é possível fazer quase tudo por meio dele: conversar com amigos, integrá-lo a outras redes sociais, realizar pagamentos, fazer reservas de viagens, marcar consultas médicas, entre tantos outros benefícios. A exemplo do modelo chinês, é esperado que esse tipo de serviço se popularize cada vez mais no Brasil.

“Os marketplaces representam o novo serviço de massa. Possuem uma base de usuários com crescimento em escala. Visando entregar cada vez mais facilidades aos consumidores numa mesma plataforma, é natural que passem a ofertar serviços financeiros. É um movimento que denomino de ´Fintechrizaçao´ das plataformas”, complementa Marcos Carvalho, diretor de Engajamento da Associação Brasileira Online to Offline (ABO2O).

“Por aqui, estamos trabalhando para habituar a população a essa oferta, como é o caso das carteiras digitais. Ao longo do tempo, porém, esperamos a consolidação de grandes players, e ativos como os da Movile são essenciais para isso”, diz Bergman.

Inovação como estratégia

Para se destacar entre esses novos competidores qualquer player precisará inovar e trazer propósito para a jornada dos clientes de grandes parceiros. “Sendo o Grupo Movile um ecossistema de empresas de tecnologia, ele promove a integração de seus serviços para que todas as marcas possam sempre crescer dentro do ecossistema”, detalha Bergman.

Ele observa que o iFood, por exemplo, já possui os serviços da Movile Pay. Ao integrar esse método de pagamento ao app do iFood, o alcance foi ampliado, por se tratar de uma plataforma que já possui milhares de usuários. Assim, o potencial da Movile Pay de conquistar mercado é muito grande.

Barreiras culturais

“O nosso maior desafio é ensinar as pessoas a utilizarem essa tecnologia de pagamentos, vencer a barreira do desconhecido para perceberem a praticidade desse serviço. Por isso, a presença em locais de alta recorrência de compras – como restaurantes e bancas de jornal – é essencial”, destaca Bergman.

O objetivo a longo prazo do Grupo Movile é ser a maior e-wallet da América Latina, com uma gama de serviços, inclusive financeiros, muito além de pagamentos, empréstimos e terminais POS. Inicialmente, o objetivo é a consolidação no Brasil, expandindo a operação para restaurantes e todas as demais verticais em todo o País. Depois será pensada a internacionalização.

Segundo Marcos Carvalho, a chegada do Open Banking ao setor, que sempre foi muito regulado e controlado por poucos, incorpora a essência do conceito de Plataforma Marketplace aplicado ao segmento financeiro, e vai intensificar ainda mais esse movimento.

“Acreditamos que essa tecnologia de pagamentos se popularizará de forma muito rápida, por facilitar tanto o dia a dia e ter uma aceitação tão positiva, seja por parte dos lojistas ou dos consumidores”, finaliza Bergman.

12.11.2019: Uma data decisiva para o futuro. Descubra porquê.

MARKETPLACE, O2O, PLATAFORMAS DIGITAIS

O mundo mudou. Ou melhor, se conectou. E com a hiperconectividade, todo dia é uma revolução. A tecnologia encurtou caminhos. Abriu portas, janelas e universos. Possibilitou enxergar muito além do que os nossos olhos podem ver. Todo dia protagonizamos mudanças – e nem precisamos sair de casa para fazer acontecer.

Inspirado por esse movimento nasceu um novo conceito no mundo da tecnologia: o O2O. A sigla pode significar tanto “do online para o offline” como “do offline para o online”. A ideia é a de complementação, e não de anulamento. Sem um, o outro se enfraquece. Juntos, se potencializam.

Há cerca de sete anos o O2O chegou no Brasil, sendo aderido aos poucos pelas principais empresas do mercado digital. Não demorou muito para que ele fosse um sucesso. Hoje é difícil imaginar por onde estaríamos caminhando se não fosse o conceito de que a experiência de fora ajuda na experiência de dentro, ou seja, uma jornada hibrida.

É o que iremos abordar no maior evento da Economia Digital do nosso país: a Revolução das Plataformas. Em parceria com a Associação Brasileira de Online to Offline (ABO2O), que reúne mais de 70 plataformas associadas (dentre Marketplaces, Fintechs e Meios de Pagamento e Fundos de Investimentos), criamos o Congresso O2O Innovation Experience. Esse mergulho no mundo digital irá acontecer no dia 12 de novembro no Villa Blue Tree, em São Paulo, das 08h30 às 19 horas. Quem assina a curadoria é a própria entidade representativa do setor, garantindo autenticidade e autoridade para abordar os principais desafios e tendência do segmento.

Serão 3 palcos de programação contínua, que no total apresentarão mais de 20 horas de conteúdo distribuídos em painéis, palestras e workshops com CEOs, donos de empresa, diretores, consultores, especialistas acadêmicos e autoridades de órgãos públicos.

Empreendedorismo social, cultura de inovação, legislação, regulação, privacidade de dados, transformação digital, experiência do cliente, economia de recorrência, tendências para o futuro e outros assuntos relacionados ao setor serão abordados em profundidade durante o O2OiX. Um palco totalmente dedicado a inovação de serviços financeiros também foi estruturado, denominado de Fintech Innovation Xperience, representando a força de um dos pilares centrais da Associação.

Ponto de encontro das grandes lideranças que protagonizam economia digital, iremos apresentar inovações, discutir desafios, propor soluções e questionamentos sobre o presente e o futuro O2O.

A Feira de Soluções e Networking trará o engajamento das principais plataformas digitais e também as novidades dos parceiros de negócios que contribuem para o desenvolvimento do setor, dentre empresas de tecnologias, soluções, serviços, produtos e inovações que impactarão os negócios em rede nos próximos anos.

Se você tem a mente aberta, olha para o futuro para transformar o presente, e pretende inserir seu negócio nesse ambiente inovativo, é um evento obrigatório! Fique por dentro de todos os temas que irão impactar os negócios em rede nos próximos anos.

Data: 12 de novembro /  Horário: das 8h30 às 19h00 / Local: Centro de Eventos Villa Blue Tree – SP

O projeto nasce com forte envolvimento do primeiro, segundo e terceiro setor, com o objetivo de influenciar políticas públicas favoráveis ao desenvolvimento da Economia Digital no país.

A organização do evento é resultado de uma aliança de esforços com as empresas API Connect, Cantarino Brasileiro e Instituto Startups.